Pós-Graduação

Pós-Graduação

Psicossociologia da Juventude e Políticas Públicas

< voltar

O curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Psicossociologia da Juventude e Políticas Públicas é um curso interdisciplinar apoiado, principalmente, nas disciplinas de Psicologia, Psicanálise e Sociologia, para estudar e compreender a juventude em sua dimensão material e política, bem como os processos intersubjetivos presentes nos processos de interação social. O curso terá como objeto o estudo dos grupos e comunidades de jovens urbanos bem como a análise e intervenção das instituições que trabalham com a juventude. O curso se apoiará, ainda, nas disciplinas de, Antropologia e Geografia Urbana, nos estudos sobre políticas publicas para a juventude e na experiência da Psicanálise em Grupos e Instituições, e a Escuta nas situações sociais estigmatizadas[1] para atingir seu objetivo compreensivo.

Assumindo uma dimensão operativa, o curso visa também estudar e desenvolver, optativamente, projetos de políticas públicas para os jovens, principalmente aqueles que habitam as periferias dos grandes centros urbanos e que vivem em situações críticas.

[1] Conforme Goffman, Erving, ou mesmo Elias, Norbert e Becker, Howard S.



clique para expandir
Objetivos

O curso objetiva, eletivamente, a criação de “dispositivos de intervenção”, orientando-se para todos aqueles que trabalham com as questões e problemas da juventude no âmbito do setor público, nas organizações do Terceiro Setor e nas empresas privadas que desenvolvem projetos de responsabilidade social.

Publico Alvo

Profissionais com graduação de nível superior interessados em compreender a juventude contemporânea e seus laços sociais. Profissionais que atuam com a juventude em situações sociais críticas; agentes e gestores do setor público, terceiro setor e setor privado, fundações, igrejas e empresas que desenvolvem projetos de responsabilidade social, empreendedorismo, cooperativismo, capacitação e políticas de esportes e lazer para a juventude.

Disciplina

 

Psicanálise da Adolescência e Juventude - 60hs - obrigatória

 

Esta disciplina dispõe aos alunos questões referentes à construção e história da juventude e adolescência, tratando-a como um conceito-limite entre a psicanálise e as ciências sociais. A contribuição da Psicanálise para as ciências sociais na compreensão da passagem adolescente, seu discurso e seu desejo. As mutações no social  e as implicações na construção subjetiva dos jovens. Propõe olhar criticamente as associações entre juventude, violência e crime, além de analisar propostas de experiências e pesquisas sobre a juventude contemporânea. Para isso, propomos o contato dos alunos com os textos, autores, projetos e pesquisas referenciados, e o debate em aulas. Essa habilidade será desenvolvida a partir das reflexões dentro e fora da sala de aula e, no estudo de casos que impliquem a interseção entre os dois campos de saber: Psicanálise e Ciências Sociais.

 

A Juventude e suas relações com a justiça - 32hs - obrigatória

 

Histórico das políticas públicas e da legislação voltadas à infância e adolescência, do período colonial à democratização; Direitos humanos, direitos fundamentais e convenções internacionais; A elaboração do ECA; Medidas de proteção; Medidas sócio-educativas; Violação de direitos humanos; Análise de casos.

 

Políticas Públicas de Juventude - 32hs - obrigatória

 

Promover um encontro fundamental entre a Sociologia e a Psicologia para compreender as novas gerações diante de profundas transformações aceleradas vividas pela sociedade do conhecimento. A disciplina buscará dar uma dimensão panorâmica sobre as principais experiências de políticas de juventude no país, que em sua maioria se consolidaram em municípios, mas também abordará o histórico de avanço dos marcos legais e programas no âmbito federal. As políticas de juventude não acompanharam o processo de democratização do Brasil com a C.F. de 1988, portanto são recentes e carecem de um campo acadêmico que se dedique a produzir uma leitura crítica e propositiva sobre novos caminhos. A proposta é realizar uma junção de teoria com experiências práticas da administração pública, na busca de ampliar o repertório dos educandos na iniciação acadêmica e na promoção do aperfeiçoamento profissional.

 

Sociologia da juventude - 60hs - obrigatória

 

A temática da juventude é ampla e difusa. Há desde estudos sobre a juventude como “problema” e aí os temas mais comuns são o do desvio, o da criminalidade e o da gravidez na adolescência, até outros que a abordam pela perspectiva dos próprios jovens. De qualquer forma a própria conceituação de juventude é complexa. Seria a juventude sinônimo de adolescência? A sociologia da juventude deve abarcar uma sociologia da infância? O que é ser jovem? É possível falar em juventude ou devemos nos expressar em termos de juventudes? Ser jovem é uma fase da vida? Um valor? Essas são apenas algumas das questões que serão discutidas na disciplina cujo objetivo é estabelecer uma reflexão teórica tanto sobre o conceito de juventude como também a respeito de outras categorias analíticas pertinentes a uma sociologia da juventude.

 

Antropologia Urbana - 32hs - obrigatória

 

Este curso visa aprofundar através da abordagem da antropologia as questões urbanas, para discutir analiticamente as múltiplas abordagens sobre a cidade, a política, espaço e poder. As questões contemporâneas e os “problemas sociais urbanos” são apresentados e discutidos através dessa abertura de possibilidades analíticas que possam encontrar novas saídas para as diferenças e desigualdades sociais em contexto urbano, primordialmente na cidade de São Paulo, assim também a análise de etnografias urbanas contemporâneas que são visitadas como método e análise do desenvolvimento atual da cidade buscando uma compreensão da relação entre juventude e a cidade a partir de temas como: produção de cultura, periferia, violência.

 

Geografia Urbana - 32hs - obrigatória

 

A cidade é o lugar da política por excelência, a cidade dá acesso ao mundo do trabalho e ao mundo social e constituiu-se, assim, como fonte de experimentação de projetos, idealizações e variadas práticas de governo. Para por em prática os desejos de uma nova ordem social e as condições práticas e materiais de sua realização, de uma maneira ou outra, sempre se colocou o problema da forma ideal dos assentamentos humanos. A discussão sobre espaço e poder acessam um complexo de relações e as discussões do urbanismo permitem uma compreensão da cidade contemporânea. Atravessando um campo de interlocução que compõem o urbanismo e a geografia – que vai da geografia, até a sociologia passando pela arquitetura, filosofia, história, literatura e as artes, além da antropologia a disciplina propõe discutir a cidade e suas problemáticas. Os tópicos selecionados buscam problematizar a cidade como alvo de múltiplos projetos políticos, materiais e estéticos sobre o que compõe a vida na cidade o “bem-estar” e a “qualidade de vida” metropolitana. Temas como fetiche, marginalidade, periferia, segregação, violência urbana, o comum, constituem perspectivas para mapear uma relação entre cidade e política na qual seja possível refletir criticamente sobre seus territórios, sentidos e usos, assim como sobre o desafio, sempre renovado, de se viver, conviver e, em última instância, sobreviver na cidade contemporânea.

 

Psicanálise dos grupos e instituições - 32hs - obrigatória

 

Esta disciplina visa proporcionar aos alunos uma visão geral sobre conceitos teóricos e técnicos que fundamentam a atuação e intervenção nos grupos a partir de um referencial psicanalítico, aprofundando o estudo sobre os processos inconscientes grupais e institucionais, enfocando especialmente o laço social dos jovens nos grupos, e nas instituições, que se dedicam ao trabalho com a juventude. O fio condutor da disciplina é o trabalho de compreensão e reflexão de como os processos inconscientes atuam nos grupos e nas instituições.

 

A Constituição do Sujeito e Sociedade - 60h  – optativa

 

A disciplina aborda a noção psicanalítica do desejo na articulação com a comunicação, compreendendo o comportamento de massa e sua dinâmica psicológica por meio das noções de identificação, agressividade e moralidade. 

(Essa disciplina é  oferecida em conjunto com a pós-graduação em Sociopsicologia, cumpre o mesmo requisito que a disciplina Psicanálise, Política e Sociedade.  Ao colocá‐las optativamente, possibilita a liberdade de acordo com tema de interesse do formando).

 

Psicanálise, Política e Sociedade - 60h – optativa.

 

A disciplina dispõe da Psicanálise como um discurso auxiliar para pensar a política contemporânea, debatendo os conceitos de inconsciente, sujeito, ego e mal-estar, capacitando os discentes à compreensão do sintoma na leitura de fenômenos e problemas psicossociais.

(Essa disciplina é oferecida em conjunto com a pós-graduação em Sociopsicologia, cumpre o mesmo requisito que a disciplina A Constituição do Sujeito e Sociedade.  Ao colocá‐las optativamente, possibilita a liberdade de acordo com tema de interesse do formando).

 

Oficina de Projetos - 30hs - eletiva

 

Oferecido via curso de extensão. A  disciplina perde sua finalidade se o aluno não tiver concluído ao menos 75% do curso para adquirir saberes que possam embasar a construção de um projeto de intervenção.

 

 

 

 

A Juventude e a questão das drogas - 32h - obrigatória

 

O enfrentamento das situações de risco e vulnerabilidade tornou-se pauta de discussão em fóruns do Poder Público na esfera da justiça, do SUS (Sistema único da Saúde), Saúde mental, Assistência Social, estendendo-se às ONGs e à comunidade em geral. A preocupação com ações preventivas e curativas na área das dependências de substâncias psicoativas faz-se presente e urgente no panorama atual, em que o cenário da exclusão social, violência e desamparo institucional revelam-se atingindo principalmente a juventude.

 

Processo Seletivo
O candidato deverá inscrever-se e comparecer na apresentação do curso com o coordenador, conforme datas abaixo:
 
Inscrições abertas para o primeiro semestre de 2019
 
  • 17/01/2019 às 19h. 
 
Importante: no ato da inscrição, o candidato escolherá a data que deseja participar.
 
A participação não é requisito para a matrícula no curso.
 
 
 
Lembrete:
 
Para realizar sua matrícula você deve comparecer na secretaria escolar da FESPSP com a seguinte documentação:
 
1 (uma) Cópia do Diploma de Graduação (ou atestado de conclusão enquanto o diploma não estiver pronto);
1 (uma) Cópia do Histórico da Graduação;
1 (uma) Cópia da Cédula de Identidade;
1 (uma) Cópia do Cadastro de Pessoa Física (CPF);
1 (uma) Cópia do Comprovante de Residência atualizado;
• 2 (duas) Fotografias recentes, em formato 3x4. 
 

A ESCOLA somente formará turmas com no mínimo de 25 (vinte e cinco) alunos, salvo situações especiais, sujeitas ao seu exclusivo critério. Se, no decorrer do curso, o número de alunos diminuir a ponto de comprometer o equilíbrio econômico-financeiro da relação contratual, a ESCOLA poderá juntar turmas ou oferecer vagas em cursos de igual natureza e conteúdo assemelhado, aos alunos remanescentes.

 


COMPARTILHE

Inscrições encerradas Coordenação
Coordenador
Prof. Dr. Sergio Luis Braghini
 
Duração
18 meses
 
Horário
Segundas e quartas das 19h às 22h30
 
Mensalidade
R$ 990,00
*referente ao ano letivo de 2019.

 

Mapa do site

FESPSP
Institucional
Biblioteca
Tecnologia
Pesquisa
Extensão
Eventos
FAQ
Estude na FESPSP
Graduação
Pós-Graduação
Cursos Extensão
Debates Contemporâneos
 
2ª via do boleto
Agência FESPSP
Artigos
Comunicado
Eventos
FESPSP na mídia
Notícias
Palestras
Publicações
Seminário FESPSP 2017
Contato
Fale Conosco
Trabalhe Conosco
Localização
Ouvidoria

FESPSP nas redes sociais

FESPSP - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo

Rua General Jardim, 522
Vila Buarque - São Paulo - SP

11 3123 7800

© Copyright 2014 - FESPSP - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo

by HKL

Dúvidas?

Nós ligamos para você!

Envie seus dados através do formulário abaixo e nossos atendentes entrarão em contato com você!