Notícias

Notícias


Produção Acadêmica

04/08/2016

Psicanálise, drogas e política são tema de doutorado

O professor Rodrigo Alencar, docente do curso de pós-graduação em Sociopsicologia da FESPSP defendeu sua tese de doutorado A FOME DA ALMA: PSICANÁLISE, DROGAS E POLÍTICA no dia 4 de agosto de 2016.

A tese do professor Rodrigo procurou entender a relação entre a psicanálise e as drogas à luz das mudanças morais e dos avanços tecnológicos e das ciências, apresentando quais fatores presentes na constituição do sujeito moderno contribuem para a formação do problema das dependências e vícios. A orientadora do professor foi a Prof. Dr. Miriam Debieux Rosa e a banca foi composta pelos professores Prof. Dra. Sandra Djambolakdjian Torossian (UFRS - psicanalista), Prof. Dr. Henrique Carneiro (FFLCH - Historiador), Prof. Dr. Oscar Angel Cesarotto (PUC SP - psicanalista) e Prof. Dr. Nelson da Silva Júnior (IP USP - psicanalista).
 
RESUMO
 
Alencar, R. (2016). A fome da alma: psicanálise, drogas e pulsão na modernidade. Tese de doutorado, Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo.
 
A relação entre drogas e psicanálise tem um entrelaçamento desde o início do projeto freudiano. A criação da psicanálise se deu logo após o envolvimento de Freud com a polêmica da cocaína e seus decorrentes embates políticos. Nessa época, questões ligadas à moralidade e ao papel da ciência em nossa sociedade começavam a entrar em xeque, por consequência do avanço tecnológico e da preocupação com a gestão dos hábitos de populações que viviam em um mundo imerso em novas possibilidades de satisfação, comercializadas enquanto soluções para o enfrentamento do mal-estar da civilização. Nossa pesquisa busca apresentar quais fatores presentes na constituição do sujeito moderno contribuem para a formação do problema das adicções, assim como mostrar que a abordagem da psicanálise sobre o assunto pode ter ignorado aspectos fundamentais para o enfretamento do problema. Por meio da teoria pulsional de Freud e da teoria de sujeito desenvolvida por Jacques Lacan, realizamos uma leitura crítica das proposições fundamentais da psicanálise sobre as drogas, a saber, a noção de autoerotismo e também a droga como elemento antissocial. Como fundamentação desta crítica, propomos uma leitura do superego presente nas adicções enquanto mecanismo integrante do que Marshall Berman cunhou de desenvolvimento fáustico. A leitura de Berman nos proporciona uma visão na qual os efeitos colaterais do desenvolvimento capitalista repercutem nas adicções enquanto problema social, possibilitando identificar como o papel das drogas em nossa sociedade possui aspectos ignorados pela formulação da teoria psicanalítica até então. Dentre esses aspectos, identificamos os lugares do trabalho e das condições sociais como fatores fundamentais no entendimento das adicções. Como resposta às teorias existentes e como proposição clínica, recorremos à formulação teórica de Nathalie Zaltzman sobre o que a mesma denominou de pulsão anarquista, constructo o qual a psicanalista direciona à clínica de situações limite. Por fim, apresentamos algumas vinhetas clínicas que servem de suporte para as reflexões e rearranjos teóricos na abordagem psicanalítica sobre o tema. Passagens que foram extraídas de experiências de trabalho no âmbito da saúde pública e em atendimentos em consultório particular compõem as “modulações transferenciais”, categorias que utilizamos para compreender as diferentes configurações de demandas clínicas em torno da questão das drogas e seus possíveis direcionamentos. Com o suporte das vinhetas clínicas, pudemos apontar os limites que se situam entre as drogas e os profissionais que acolhem os pacientes com essa demanda, estabelecendo uma interpretação do fenômeno da fissura, no qual a satisfação tóxica pode até ser imprescindível, mas não é suficiente.
 
Palavras chave: drogas, psicanálise, pulsão, adicções, dependência química, toxicomanias.
 
Serviço
 
Defesa da tese de doutorado "A fome da alma: psicanálise, drogas e política na modernidade"
Candidato: Rodrigo Alencar
Orientadora: Prof. Dr. Miriam Debieux Rosa
Banca:
Prof. Dra. Sandra Djambolakdjian Torossian (UFRS - psicanalista)
Prof. Dr. Henrique Carneiro (FFLCH - Historiador)
Prof. Dr. Oscar Angel Cesarotto (PUC SP - psicanalista)
Prof. Dr. Nelson da Silva Júnior (IP USP - psicanalista)



Veja Mais

Mapa do site

FESPSP
Institucional
Biblioteca
Tecnologia
Pesquisa
Extensão
Eventos
FAQ
Estude na FESPSP
Graduação
Pós-Graduação
Extensão
Debates Contemporâneos
 
2ª via do boleto
Agência FESPSP
Artigos
Comunicado
Eventos
FESPSP na mídia
Notícias
Palestras
Publicações
Seminário FESPSP 2017
Contato
Fale Conosco
Trabalhe Conosco
Localização
Ouvidoria

FESPSP nas redes sociais

FESPSP - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo

Rua General Jardim, 522
Vila Buarque - São Paulo - SP

11 3123 7800

© Copyright 2014 - FESPSP - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo

by HKL

Dúvidas?

Nós ligamos para você!

Envie seus dados através do formulário abaixo e nossos atendentes entrarão em contato com você!