Notícias

Notícias


Dia do Bibliotecário

12/03/2015

Biblioteconomia paulista completa 75 anos com desafios na Educação e Cultura

Todo 12 de março é celebrado o Dia do Bibliotecário, mas neste ano, a biblioteconomia paulista comemora os 75 anos de atividade da Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação da FESPSP, a mais antiga escola paulista de biblioteconomia.

Todo 12 de março é celebrado nacionalmente o Dia do Bibliotecário, mas neste ano, a biblioteconomia paulista comemora os 75 anos de atividade da Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação da FESPSP (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo), a mais antiga escola paulista de biblioteconomia.

A importância deste curso não reside apenas na sua longevidade, mas também por formar gerações de profissionais, alguns responsáveis pela criação de cursos da área espalhados pelo país, que influenciaram fortemente o pensamento biblioteconômico brasileiro.

Atualmente a profissão enfrenta o desafio de se colocar como uma força motora na educação e na cultura: a Lei Federal 12.444/10, sancionada em 2010, torna obrigatória a instalação de uma biblioteca com pelo menos um livro por aluno em todas as instituições de ensino públicas e privadas do país até 2020.

Hoje, porém, apenas 35% das escolas conta com bibliotecários. Para atender à demanda por esses profissionais, será necessário quadruplicar a oferta de trabalho – para ter uma ideia, hoje há 34 mil bibliotecários no país e 192 mil escolas da educação básica. Uma boa notícia para um mercado que cresce também por causa do surgimento de novas tecnologias, como as bibliotecas digitais. A má notícia é que pouco tem-se feito para cumprir a Lei, pois no Estado de São Paulo, onde se encontra o maior sistema de educação pública do país, a biblioteca escolar, como previsto na legislação, é difícil de ser encontrada nas unidades de ensino.

Para o vice-Presidente do Conselho Regional de Biblioteconomia 8ª. Região (CRB8) e docente da FESPSP, Francisco Lopes de Aguiar, é preciso construir políticas públicas sólidas para fortalecer e redefinir o papel social da Biblioteca Escolar e da Biblioteca Pública. “A falta desde equipamento pedagógico na unidade de ensino faz com que o a biblioteca pública, quando ela é acessível, seja utilizada para suprir a demanda escolar, desviando-se dos objetivos prioritários”.

A Profa. Dra. Valéria Matin Valls, coordenadora do curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação da FESPSP, concorda com seu colega, e completa ressaltando que o desvio de objetivo pode afetar a qualidade do serviço oferecido tanto para o usuário escolar quanto para o usuário da biblioteca pública. “É preciso compreender as especializações que cada tipo de equipamento tem, no processo educacional que ocorre no ambiente escolar, as demandas e o tipo de acervo são focados para ações pedagógicas, enquanto a biblioteca pública exige outro tipo de abordagem e tratamento”.

Para os professores, tanto o equipamento público quanto o escolar carecem de melhor definição de seus papéis quanto aos objetivos, acervo e usuários atendidos. A falta de uma política pública para equipamentos compromete a educação e a cultura das próximas gerações de brasileiros. Estamos cada vez mais distantes do slogan 'Brasil, Pátria Educadora'.

Como se pode ver há muito a ser feito neste ano que o curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação da FESPSP celebra 75 anos.
 

Sobre Francisco Lopes de Aguiar

Doutorando no Programa de Pós-Graduação de Ciência da Informação da Universidade de São Paulo- ECA/USP. Mestre em Ciência da Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC e bacharel em Biblioteconomia e Ciência da Informação pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FaBCi-FESPSP. Docente no curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação da FAINC e FaBCi-FESPSP e do curso de Pós-Graduação em Planejamento e Gerenciamento de Sistemas de Informação. Coordenador da Comissão de Fiscalização no Conselho Regional de Biblioteconomia do Estado de São Paulo/CRB8º e Editor de Tecnologia da Revista CRB8 Digital. Tem experiência na área de Ciência da Informação, utilizando-se de conhecimentos interdisciplinares entre as áreas de Biblioteconomia, Arquivologia, Ciência da Informação e Tecnologias da Informação. Atua no mercado de Gerenciamento Documentos, Dados, Informação e Conhecimento há aproximadamente 14 anos, desenvolvendo projetos de concepção e Implementação de Arquivos Empresariais/Corporativos, Centros de Informação e Documentação, Bibliotecas Universitárias/Especializadas, Bibliotecas/Repositórios Digitais/Institucionais, Informatização de Recursos e Serviços de Informação, Organização e Tratamento da Informação Arquivística/Corporativa, Mapeamento de Processos, Classificação de Conteúdos Arquivísticos, Descrição Arquivística, Avaliação Documental, TTD - Tabela de Temporalidade Documental, GED - Gerenciamento Eletrônico de Documentos. Desenvolvimento e Aplicação de Linguagens de Representação Documentária para organização e recuperação de conteúdos em ambiente digitais (Taxonomia e vocabulário controlado). Aplicação de Tecnologias da Informação e Comunicação baseadas na filosofia e metodologia do Movimento de Acesso Livre ao Conhecimento.

Sobre Valéria Martin Valls

Doutorado em Ciências da Comunicação (2005), Mestrado em Ciências da Comunicação (1998) e Graduação em Biblioteconomia e Documentação (1990) pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo - ECA/USP, além de extensão universitária em Docência pela Fundação Getúlio Vargas - FGV (2008). Coordenadora e docente do curso de graduação em Biblioteconomia e Ciência da Informação da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FaBCI/FESPSP) e Coordenadora de curso e docente de pós-graduação da Escola Pós-Graduada da FESPSP (Núcleo de Ciência da Informação). Docente do MBA em Gestão Empresarial e Coaching (parceria FESPSP e SLAC). Primeira Tesoureira (Gestão 2014-2016) da ABECIN - Associação Brasileira de Educação em Ciência da Informação. Consultora associada em projetos ligados à gestão da qualidade, informação e conhecimento, além de atuar como palestrante nesses temas.


SOBRE A FESPSP

FESPSP: 82 anos de Reconhecimento

A Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP) foi criada em 27 de abril de 1933, por iniciativa de pouco mais de uma centena de figuras eminentes da sociedade paulistana.

Orientada desde o início para o estudo da realidade brasileira e para a formação de quadros técnicos e dirigentes capazes de atuar no processo de modernização da sociedade, a FESPSP mantém o cursos de Sociologia e Política, de Biblioteconomia e Ciência da Informação, de Administração e cursos de Pós-Graduação em áreas de Ciências Sociais e afins.

O seu corpo de pesquisadores e docentes se dedica ao ensino e à pesquisa acadêmica e aplicada, reunindo à atividade de produção do conhecimento a capacidade de intervenção, gestão e planejamento, que tem sido a marca de atuação da instituição nos projetos desenvolvidos para os setores público e privado ao longo dos anos.
 




Veja Mais

Mapa do site

FESPSP
Institucional
Biblioteca
Tecnologia
Pesquisa
Extensão
Eventos
FAQ
Estude na FESPSP
Graduação
Pós-Graduação
Cursos Extensão
Debates Contemporâneos
 
2ª via do boleto
Agência FESPSP
Artigos
Comunicado
Eventos
FESPSP na mídia
Notícias
Palestras
Publicações
Seminário FESPSP 2017
Contato
Fale Conosco
Trabalhe Conosco
Localização
Ouvidoria

FESPSP nas redes sociais

FESPSP - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo

Rua General Jardim, 522
Vila Buarque - São Paulo - SP

11 3123 7800

© Copyright 2014 - FESPSP - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo

by HKL

Dúvidas?

Nós ligamos para você!

Envie seus dados através do formulário abaixo e nossos atendentes entrarão em contato com você!