Pós-Graduação

Pós-Graduação

Gestão de Acervos Museológicos

< voltar
São Paulo é o Estado brasileiro com o maior número de museus de todo Brasil, contando com mais de 400 instituições voltadas para a preservação de nosso patrimônio e tradições. Sendo um campo de atuação multidisciplinar e diante desse número expressivo, os cursos voltados para a formação de profissionais para atuar nas instituições museológicas não dão conta de atender à demanda existente.
 
Nesse sentido, o Curso Gestão de Acervos Museológicos visa a fornecer conteúdo teórico, conceitos e fundamentos da Museologia em geral e a discutir processos e procedimentos habituais aplicados nas instituições museológicas, baseando-se na interdisciplinaridade com outras áreas de conhecimento. 
 
Além de pautar-se no respeito à já existente regulamentação da profissão de Museólogo e aos profissionais que possuem tal titulação, o objetivo do presente Curso de Pós-Graduação é o de formar Especialistas em Gestão de Acervos Museológicos com amplo conhecimento teórico-prático, aptos a integrar as equipes dos Museus e instituições congêneres, a fim de que contribuam expressivamente para a gestão e o desenvolvimento das instituições e trabalhem conjuntamente com os Museólogos.
 
"curso de Pós-graduação em Gestão Lato Sensu voltado para o campo da Museologia e museus, não dá direito ao registro profissional na qualidade de museólogo (a)."


clique para expandir
Objetivos

Busca fornecer subsídios às ações e atribuições que dão suporte às atividades típicas da profissão de Museólogo, regulamentadas no art.3º da lei nº 7287, de 18 de dezembro de 1984, através de discussão teórica e prática abrangida pelas disciplinas, o curso de Gestão de Acervos Museológicos visa formar o profissional Especialista em Museus, habilitando-o à:

  • Trabalhar de forma ética e permanente com o patrimônio cultural, em suas diversas manifestações;
  • Compor a equipe técnica para realizar a difusão de acervos e exposições colocados a serviço da sociedade, com o objetivo de propiciar a ampliação do campo de possibilidades da construção de identidade, a percepção crítica da realidade, a produção de conhecimento e oportunidades de lazer;
  • Conhecer os fundamentos para utilizar o patrimônio cultural como recurso educacional, turístico e de inclusão social;
  • Conhecer os conceitos básicos que garantem a vocação da instituição para a comunicação, a exposição, a documentação, a investigação, a interpretação e a preservação de bens culturais em suas diversas manifestações;
  • Possibilitar a democratização do acesso, uso e produção de bens culturais para a promoção da dignidade da pessoa humana;
  • Constituir espaços democráticos e diversificados de relação e mediação cultural, sejam eles físicos ou virtuais;
  • Fazer parte da equipe apta a executar atividades de gerenciamento do pessoal envolvido em todas as atividades museológicas,
  • Executar atividades de gerenciamento dos recursos tecnológicos,
  • Operacionalizar política comercial, realizando prospecção mercadológica, identificação e captação de clientes e adequação dos produtos e serviços;
  • Obter conhecimentos fundamentais para opinar na avaliação da qualidade dos produtos, serviços e atendimento realizados;
  • Executar atividades de gerenciamento econômico, técnico e administrativo dos núcleos de trabalho, articulando os setores internos e coordenação de recursos;
Público Alvo

O público-alvo do curso são profissionais com graduação de nível superior que atuam ou que pretendem atuar em áreas relacionadas com Museus, patrimônio museal, instituições de memória.

A museologia é um campo bastante amplo, capaz de absorver profissionais de várias áreas do conhecimento, pois atua em Museus de Ciência, de Artes em geral, de Tecnologia, de História etc.

Neste sentido, o público-alvo está mais relacionado aos profissionais interessados em trabalhar com patrimônio cultural e memória, independente se sua formação básica. Comumente atrai profissionais das áreas de Humanas e Ciências Naturais, tais como biologia, física, química, e de tecnologia em geral.

Disciplina

O curso de Gestão de Acervos Museológicos é estruturado de modo a oferecer uma abordagem multidisciplinar, porém centrada na compreensão da gestão dos diferentes acervos museológicos e seus aspectos sistêmicos.

A estrutura do curso é apresentada a seguir:

DISCIPLINAS NÚCLEO COMUM

1.          MUSEOLOGIA GERAL (60 horas)

A disciplina apresentará a história da instituição Museu, desde seus primórdios aos museus contemporâneos, dando ênfase na relação entre a evolução do conceito de patrimônio cultural e suas transformações. Apresentar-se-á também o surgimento das diferentes tipologias de museu e a forma de legitimação do museu na sociedade brasileira. Para tanto, são necessárias discussões em torno do Quadro Geral da Disciplina e do Sistema Museológico, sobre o objeto de estudo da museologia - Fato Museal -, sua definição e expressões práticas da museologia em distintos contextos. Além de apresentar, em linhas gerais e específicas, as leis sobre patrimônio cultural no Brasil, em especial, além das principais Cartas que fundamentam o pensamento museológico contemporâneo.

2.         GESTÃO E POLÍTICAS DE ACERVO (60 horas)

A disciplina abarcará a identificação e aplicação de princípios e conceitos que definem a documentação, em museus, entendida como a reunião e organização de informações sobre os objetos pertencentes aos acervos.  Ressalta-se a necessidade de construção de políticas de acervo e Conselhos de Orientação para assegurar a coerência nas coleções e clareza nos processos de documentação administrativa de proposição e incorporação de acervo. Para tanto, apresentará metodologias para os processos de tratamento do acervo e promoverá reflexões e práticas em pesquisa museológica, compreendendo a sua abrangência e particularidades. De maneira exploratória, apresentar-se-ão conceitos de tecnologia da informação, conteúdo e documentação com ênfase em boas práticas da aplicação de ferramental e suporte digital para a gestão da informação, com a análise e ações de mitigação dos riscos associados à informação. Apresentar-se-ão os métodos de avaliação do estado de conservação do acervo, com a identificação de materiais, convenções e técnicas apropriados para conservação dos objetos, considerando também aspectos da climatização dos espaços para a manutenção e preservação das características físico-químicas do acervo. Com isso, abordar-se-ão também técnicas, convenções e tecnologias de acondicionamento de acervo em áreas de reserva técnica, conforme a diversidade tipológica dos objetos.

3.         COMUNICAÇÃO MUSEOLÓGICA (60 horas)

A disciplina discutirá o processo de produção-veiculação-recepção de mensagens museológicas como processo integrado entre museu e público. Nesse sentido, serão apresentadas metodologias para elaboração de ações e estratégias que divulguem a instituição museológica tendo em vista a interação com a sociedade, com a educação e a preservação de patrimônio. Serão abordados os antecedentes históricos da relação entre educação e museu, correlacionando correntes pedagógicas, de psicologia do aprendizado e da percepção às práticas de ação educativa nos museus. Dando margem ao desenvolvimento de projetos expográficos e a implantação de sistemas expositivos museais, se fará a crítica de exposições existentes, apreendendo os seus elementos estruturadores e a construção da linguagem, ressaltando o planejamento, o objeto de estudo e a elaboração do projeto do museu e aplicar a coleta, análise, interpretação e incorporação dos dados de público. Além disso, princípios de expografia e expologia e suas linguagens serão debatidos, bem como a discussão sobre a relação entre exposição, comunicação museológica e educação em museus.

4.        PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE INSTITUIÇÕES MUSEAIS (60 horas)

Apresentação de subsídios para compreender o processo de elaboração e execução do Plano Estratégico para museus através da abordagem de teorias e técnicas de gestão, focadas na área cultural. Será trabalhado o conceito de Plano Museológico e cada uma de suas fases, bem como da construção de estratégias de sustentabilidade e desenvolvimento das instituições museológicas. Pretende-se ainda apresentar modelos de organização para a realização de diagnóstico; discutir a aplicação das políticas institucionais, os planos de gestão e os técnico-científicos, o programa, a programação, as ações internas e as públicas, os públicos, o entorno. Face ao programa de necessidades – em sua estrutura museológica –, é possível, também, analisar projetos arquitetônicos de museus e refletir sobre a importância da arquitetura dos museus. Também será discutida a integração do processo museológico com a gestão museal e os planos que permitem a integração da eficiência dos processos com a eficácia dos produtos e ações no tempo e no espaço. Debater o desenvolvimento dos projetos para viabilização e captação de recursos públicos e privados, gestão de recursos oriundos de fontes diversas. Introdução à redação de projetos, relatórios e documentos formais, Leis de Incentivo a Cultura e gestão de projetos sociais e do Terceiro Setor.

DISCIPLINAS NÚCLEO ESPECÍFICO

1.        Políticas de Conservação Preventiva em Museus (32 horas)

Apresenta e discute a História e a ética da Conservação e Restauro de bens culturais e os conceitos básicos da área. Discute os principais processos de deterioração em acervos e edifícios de museus e exercita a elaboração do Diagnóstico e do Plano e Conservação em instituições museológicas. Tratará das principais patologias e infestações nas instalações físicas dos museus.  Análise das patologias e infestações e desenvolvimento de práticas para as soluções das patologias identificadas no edifício e no acervo. Leis que regulam a proteção ao Patrimônio, IPHAN, IBRAM, ICOM, entre outros mecanismos internacionais que regulam proteção ao Patrimônio.

2.       Instituições artefatos e produção cultural: estudos históricos e antropológicos (32 horas)

A partir de um olhar das ciências sociais o curso busca problematizar os “usos da cultura”, considerando suas implicações políticas e econômicas no campo dos museus, das instituições patrimoniais e de conservação. Introduz o conceito de cultura como algo “especificamente humano” e plural em suas manifestações e expressões, colocando questões de alteridade, diversidade e articulações entre tradição e modernidade. Apresenta o contexto histórico de nascimento das modernas “ciências do homem” (antropologia) e dos saberes sobre os “objetos dos outros” (arqueologia e museologia), a partir de algumas práticas e heranças comuns (colonialismo, evolucionismo e colecionismo). Discute as relações entre a formação dos Estados e a criação de instituições museais como guardiãs e produtoras dos “documentos da identidade nacional”: o museu como um discurso da nação sobre si mesma. Aborda problemas da reprodução técnica e das práticas de coleta e classificação, sobretudo nas tensões entre os documentos de arte e de cultura. Tematiza a “vida social das coisas” a partir da circulação e manipulação de bens culturais em diferentes contextos e mercados. Aprofunda conceitos de paisagem e lugares da memória de modo a refletir sobre a cidade como objeto cultural e patrimonial, bem como sobre questões urbanas relacionadas: musealização dos espaços públicos; processos de gentrification; turismo e consumo cultural nas cidades globais. Finaliza explorando os “documentos da identidade urbana” em São Paulo: o museu como um discurso da cidade sobre si mesma.

3.       Diálogos abertos de tecnologia (32 horas)

A partir da análise dos efeitos das tecnologias de informação e comunicação (TIC) em instituições de memória, será apresentado o conceito da sociedade em rede como base para a compreensão das novas formas pelas quais a informação tem sido produzida e organizada. Conceituação do museu como sistema de informação. Serão apresentadas as novas formas de comunicação surgidas a partir do ambiente web e as novas concepções de acervos que também passaram a se configurar nesse novo ambiente, seja por meio dos documentos nato-digitais ou digitalizados. Abordagem da necessidade de adaptação dos arquivos, bibliotecas e museus no que diz respeito aos serviços oferecidos à sociedade e seus impactos. Apresentará os recursos das TIC para automação de acervos, comunicação e preservação. A disciplina tratará de aspectos relacionados à preservação digital com ênfase em objetos nato-digitais presentes em acervos museológicos, como por exemplo, arte digital e documento audiovisual. Demonstração de conceitos de interoperabilidade entre sistemas culturais e padrão para modelagem conceitual do ICOM: CIDOC-CRM.

4.      Arquivos, Bibliotecas e Centros de documentação e memória em museus (32 horas) 

A disciplina abordará a gestão de unidades de informação e de acervos de natureza arquivística e biblioteconômica que coexistem dentro das instituições museais. Para tanto, considerando a teorização de cada área do saber, serão abarcados: a conformação do campo de atuação, os conceitos e os princípios norteadores adotados comumente pela Arquivologia, Biblioteconomia e Museologia e as possíveis aproximações entre as práticas de cada área; a gestão de arquivos, bibliotecas e centros de documentação com ênfase nas políticas de tratamento de fundos e coleções documentais e bibliográficas; as relações dinâmicas entre os fundos e as coleções com a documentação museológica e as áreas de comunicação, pesquisa e curadoria dos Museus; políticas de acesso e difusão cultural de arquivos, bibliotecas e centros de documentação de Museus e as relações entre os profissionais das áreas.

Processo Seletivo
O candidato deverá inscrever-se e comparecer na apresentação do curso com o coordenador, conforme datas abaixo:
 
 
Importante: no ato da inscrição, o candidato escolherá a data que deseja participar.
 
A participação não é requisito para a matrícula no curso.
 
 
Lembrete:
 
Para realizar sua matrícula você deve comparecer na secretaria escolar da FESPSP com a seguinte documentação:
 
      Inscrições abertas para o segundo semestre de 2018
 
1 (uma) Cópia do Diploma de Graduação (ou atestado de conclusão enquanto o diploma não estiver pronto);
1 (uma) Cópia do Histórico da Graduação;
1 (uma) Cópia da Cédula de Identidade;
1 (uma) Cópia do Cadastro de Pessoa Física (CPF);
1 (uma) Cópia do Comprovante de Residência atualizado;
• 2 (duas) Fotografias recentes, em formato 3x4. 
 

A ESCOLA somente formará turmas com no mínimo de 25 (vinte e cinco) alunos, salvo situações especiais, sujeitas ao seu exclusivo critério. Se, no decorrer do curso, o número de alunos diminuir a ponto de comprometer o equilíbrio econômico-financeiro da relação contratual, a ESCOLA poderá juntar turmas ou oferecer vagas em cursos de igual natureza e conteúdo assemelhado, aos alunos remanescentes.


COMPARTILHE
Inscreva-se Coordenação
Coordenadora
Profa. Cecilia de Lourdes Fernandes Machado
Museólogo COREM 4R 128 II
 
Duração
18 meses
 
Horário:  Terças e Quintas, das 19h às 22h30.
 
 
Mensalidade
R$ 945,00
*referente ao ano letivo de 2018.

Mapa do site

FESPSP
Institucional
Biblioteca
Tecnologia
Pesquisa
Extensão
Eventos
FAQ
Estude na FESPSP
Graduação
Pós-Graduação
Extensão
Debates Contemporâneos
 
2ª via do boleto
Agência FESPSP
Artigos
Comunicado
Eventos
FESPSP na mídia
Notícias
Palestras
Publicações
Seminário FESPSP 2017
Contato
Fale Conosco
Trabalhe Conosco
Localização
Ouvidoria

FESPSP nas redes sociais

FESPSP - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo

Rua General Jardim, 522
Vila Buarque - São Paulo - SP

11 3123 7800

© Copyright 2014 - FESPSP - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo

by HKL

Dúvidas?

Nós ligamos para você!

Envie seus dados através do formulário abaixo e nossos atendentes entrarão em contato com você!