Notícias

Notícias


Debate

15/05/2017

Desafios do capitalismo para a democracia são discutidos na FESPSP

Debate promovido pela Fundação Friedrich Ebert com participação do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, discute a relação entre capitalismo e democracia.

A precária relação entre o capitalismo e a democracia nos países em que eles coexistem foi o tema de debate realizado no dia 4 de maio de 2017, na FESPSP (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo), promovido pela Fundação Friedrich Ebert no Brasil (FES). O encontro teve a participação do cientista político alemão Wolfgang Merkel e do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad. 
 
Merkel explicou as principais diferenças entre o capitalismo, que surgiu a partir da Revolução Francesa, e a democracia, que surgiu na Grécia Antiga, apresentando cinco causas que acredita serem o motivo do conflito entre o sistema financeiro e político em vários países do mundo: a desigualdade social, que se transforma também em desigualdade política; a globalização, que tornou o Estado mais vulnerável à interesses de corporações multinacionais; a incapacidade dos políticos eleitos deterem as crescentes desigualdades socioeconômicas; a individualização da sociedade no que diz respeito a representatividade nas organizações coletivas (como sindicatos e associações); e a velocidade com que as negociações são feitas, sendo que na democracia um dos fatores essenciais é o tempo.
 
A relação entre os sistemas foi defendida por Haddad. “Esta relação surgiu desde o início como necessária, porque o capitalismo tem como fundamento a liberdade contratual e nisso supera o seu antecessor. O trabalho é o contrato que melhor representa esta necessidade”, explicou o ex-prefeito, destacando que o Estado capitalista nasce público, portanto é do cidadão e não dos proprietários. 
 
Porém, uma das preocupações da época do surgimento deste sistema financeiro era a proteção às minorias (credores e proprietários latifundiários). “A denuncia dos socialistas é que não estava acontecendo à troca entre equivalentes – o proprietário dos meios e o vendedor da força de trabalho. O pensamento socialista denuncia a democracia burguesa. Democracia não deve ser pensada apenas na esfera política, mas também no campo econômico. Temos de pensar nas produções em vias democráticas”, enfatizou. Após as apresentações iniciais, os alunos da FESPSP e os demais presentes puderam fazer perguntas e esclarecer dúvidas com os convidados da Fundação Friedrich Ebert. 
 
Agência FESPSP
 
 
 
 



Veja Mais

  • Seminário FESPSP abre edital para monitoria

    Estão abertas as inscrições para vaga de monitoria no Seminário FESPSP 2016 CIDADES CONECTADAS: Os desafios sociais na era das redes. Podem participar como monitores, alunos de...

  • Aécio Neves e a desestabilização institucional, por Aldo Fornazieri

    O professor da FESPSP (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo) Aldo Fornazieri escreveu artigo em sua coluna no Jornal GGN, publicado hoje. Leia aqui.

  • Big Data, qual é a sua?

    As organizações visualizam o Big Data como base para a inovação, diferenciação e crescimento, mas o que é essa tecnologia? O professor Henrique Ferreira introduz este tema no artigo abaixo. Confira! Big Data, qual é a...

Mapa do site

FESPSP
Institucional
Biblioteca
Tecnologia
Pesquisa
Extensão
Eventos
FAQ
Estude na FESPSP
Graduação
Pós-Graduação
Extensão
 
2ª via do boleto/cartão
Agência FESPSP
Artigos
Comunicado
Eventos
FESPSP na mídia
Notícias
Palestras
Publicações
Contato
Fale Conosco
Trabalhe Conosco
Localização
Ouvidoria

FESPSP nas redes sociais

FESPSP - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo

Rua General Jardim, 522
Vila Buarque - São Paulo - SP

11 3123 7800

© Copyright 2014 - FESPSP - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo

by HKL